GAudi, Ubiquity, Google, Mozilla … e a dominação do mundo.

Hi nice people, :)

O título parece meio psyco mas é um insight que tive ao ver o GAudi (apelido para Google Audio Indexing) funfando e lendo hoje um pouco disso novamente na Info.

Vamos por partes: os caras já tem o buscador mais fdp, indexando não ainda da forma perfeita que gostaria, mas dando um poder quase infinito de busca textual possível. A busca de textos e termos EM VÍDEOS agora abre a questão de até onde vamos poder buscar o que desejamos de forma tão transparente. E claro, como vamos organizar isso de uma forma otimizada e agradável sem toneladas de informação.

É claro que isso vai passar a ser feito depois que passamos nossos videos de vários formatos pela “caixa surpresa” do Youtube, que tranforma o bixudo em FLV e aí deve-se iniciar a mágica. Mas se hoje os vídeos são quase uma totalidade na mídia de comunicação depois do texto puro em página, e Youtube é talvez o maior nesse mundo, imagina a destruição que isso nos dará com uma tecnologia dessa portável para todas as outras mídias: pdfs, swfs do Flash, processadores de reconhecimento de objetos e faces em imagens …

Acho que o passo de pesquisa de termos em vídeos aliada a essa massificação da banda larga e novas tecnologias que prometem aumenta-la cada vez mais para o povo em geral, vai ser o pulo do gato para o que ando vendo ser uma tendência real, mas ainda um pouco utópica em questão de viabilidade técnica: navegadores mais semânticos movidos a ações simples como “me mostre como está o dia em Guarapari, no Espírito Santo”, que serão decompostos em vários filtros e comandos para obtenção de um resultado comum e aproveitável.

Conseguiu chegar lá? Se não conseguiu, dê uma olhada no vídeo do Aurora, um navegador-conceito (sim, como aqueles carros conceito doidões que andam movidos a energia solar e coisas do tipo) da Mozilla criado pela Adaptive Path (para quem não sabe, os caras que bombaram a web com o termo Ajax) cuja navegação ilustra “uma possibilidade da futura experiência do usuário na web”. Antes de bonito, interessante e legal é simplesmente embasbacante imaginar que uma forma de navegação dessa pode estar muito mais próxima do que imaginamos.

Se o mundo pirou com o Google Earth (e depois com suas Street Views), o Google Maps e afins … imagino quando um browser dessa magnitude chegar ao público, mesmo que bugado. oO

Por esses dias baixei o Ubiquity, um puta pluguin para FF que é movido por comandos que se aproximam do “mais humanamente possível” ou seja … você dá comandos do tipo “email to leohackin@mail.com” e ele ja abre o Gmail com o endereço do cara preenchido e tudo! E o melhor: ele tem uma interface de programação de novas funções movidas a JS e portáveis!!!

De email a traduções via BabelFish, o Ubiquity é um playground de mashups brutalíssimo e que ja dá o tom do que o Aurora pode ser futuramente: uma plataforma movida a mashups customizável com possibilidades infinitas de integração de conteúdo e funcionalidades. Ou seja: o nirvana moderno da navegação na internet.

É rapaz … deixe a mente vagar …………………. :)

Até a próxima. E a internet somos nozes!