MVPs e a frustração do cliente: lean startup a que custo?

Agora pela manhã me deparei com a notícia, comum hoje em dia, de um jogo que foi lançado no prazo mas cheio de bugs e instabilidades. Comum pois com o advento da tecnologia e de consoles de video game cada dia mais “inteligentes” e conectados, as empresas, seja lá qual tamanho tenham, estão cada vez mais viciadas no recurso de download de atualizações que as deixou, sim, preguiçosas em ter um controle de qualidade real como antigamente.

Lembro que na minha época nos jogos das plataformas 8/16/32 bits (Atari, Nintendinho, Master Systen, Super Nes, Mega Drive … vou parar porque a lista é grande) quase inexistiam esses bugs bizarros. Não existia essa de baixar atualizações (nem internet tinha direito) e as produtoras se esforçavam ao máximo para entregar jogos quase perfeitos: ou o jogo era maneiro ou os jogadores taxavam o jogo de todos os impropérios juvenis que se possa imaginar (só me lembro do “jogabilidade podre“).

Resultado de hoje: um sem número de clientes e early adopters frustrados com downloads intermináveis (alias, ligue agora seu PS4 e talvez você já tenha uma atualização lá hahaha), experiência de consumo recheada de frustração e um número de infinito de vídeos no Youtube com os bugs mais bizarros. Alias, com esses jogos agora com motores de simulação de física reais os bugs são cada vez mais engraçados – procure por glitch ou glitches.

Hoje em dia, como quase tudo que é atualizável, todos sofrem diretamente com a mania do MVP, sacrificando a qualidade final (ou aceitável) de um produto em nome do time-to-market, de investidores/empresas $edento$ por re$ultado$ e a desculpa de que “a gente pode lançar um patch depois né? o que importa é tirar a galera da seca”.

O termo MVP (Minimum Viable Product ou Produto Viável Mínimo) foi popularizado (diz a Wikipedia) no icônico livro Lean Startup (Startup Enxuta em português) do Eric Ries.  Ele diz:

Um produto minimamente viável (MVP) é a “versão de um novo produto que permite a equipe a coletar a quantidade máxima de aprendizagem validadas sobre clientes com o mínimo esforço.” – Wikipedia

Isso é totalmente válido na validação/desenvolvimento de negócios e novos nichos de mercado: afinal, quando a Apple por exemplo estava criando o iPod, a gente sequer imaginava que isso podia existir daquela forma – então, como saber o que as pessoas querem e definir a qualidade e atributos finais do produto? Porém, hoje com essa pre$$a e imediatismo em fazer dinheiro rápido os lançamentos de produtos (sejam games ou softwares) esquecem-se cada vez mais da qualidade mínima que um produto deveria ter para atender minimamente a satisfação do usuário ou invés de usa-lo como cobaia no processo de coleta de feedback.

Um tipo de MVQ (Mininum Viable Quality ou Qualidade Viável Mínima) deveria fazer parte integral do processo de lançamento de um produto. Quais são realmente as necessidades mínimas que preciso entregar pro meu cliente pra que ele fale “esse é um produto de qualidade”. Um consumidor de jogos precisa minimamente que o frame rate dos jogos não degrade em cenas com muitos elementos, principalmente em jogos de luta. Um consumidor de um software de estatística de negócio precisa de uma forma fácil de agregar seus dados para gerar seus gráficos. E por ai vai …

Esse MVQ deveria fazer parte do todo mas é totalmente ignorada desse pega-estica-e-puxa entre o dilema de se ter tempo de acabar bem o produto e o temos-que-ter-um-time-to-market-rapido-porque-estamos-sem-grana tirano.

Agora deixa eu ver se tem uma atualização aqui rapidin …

 

#SCTI2014 review

Aloha,

Nessa semana rolou o SCTI 2014 ou 4ª Semana de Ciência da Computação e Tecnologia da Informação numa descrição mais formal.

Se o pensamento popular diz que “ações dizem mais que palavras“, precisaríamos de uma enciclopédia Barsa (desculpa, isso existia na minha época) para botar todo o significado do que foi feito pela galera de inoxidáveis do curso de Ciência da Computação nesse evento. Quer dizer, eventoS.

Durante 5 dias, Campos foi bombardeada de informação por todos os lados na forma de minicursos e palestras de quem mata a cobra e mostra o pau trabalha na área, indo desde o software, com diversas linguagens e plataformas, ao hardware com o Google Glass e Arduino. Um prato cheio pra geeks, nerds, entusiastas e principalmente um público ávido por novidades e inspiração.

Saí daqui na quarta com meu rival de street fighter amigo Almir M3nd3s a tira-colo para apresentar na quinta nossa palestra sobre como fazer uma palestra com gifs animados pra galera rir o dia-a-dia que temos na plataforma de e-commerce Adena e encontrar com nosso comparsa Leandro Nunes, que daria uma palestra de Vagrant.

O networking, bate papo, as idéias, as motivações: tudo foi propício para dizer que o dia foi muito bacana e proveitoso. :)

O ambiente acadêmico, em âmbito nacional, precisa e iniciativas assim e essa galera fez bonito em mais um evento feito com paixão, dedicação e doação.

Então, aos organizadores que fizeram desse eventos ter sido o que foi, as batatas: vocês são f*da.

Inoxidáveis da graduação de Ciência da Computação UENF

Inoxidáveis da graduação de Ciência da Computação UENF

Se quiser ver fotos, materiais e outras coisas que rolaram no evento, veja tudo na página oficial do evento no facebook https://www.facebook.com/SCTI.UENF. 😉

Simbora.

4ª Semana de Ciência da Computação e Tecnologia da Informação (SCTI 2014)

Aloha,

Na semana do dia 03/11 até 07/11 rolará em Campos/RJ a 4ª Semana de Ciência da Computação e Tecnologia da Informação (SCTI 2014), um puta evento de tecnologia que terá assuntos dos mais variados: do Arduino ao Ruby, do deploy contínuo à soluções de PaaS. O evento rolará no centro de convenções da UENF (Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro).

Um dos pontos positivos é que não teremos apenas palestras, mas VÁRIOS mini-cursos na parte da manhã. Um deles será do nosso amigo Leandro Nunes, que fará um hands on de Vagrant, ensinando como ter um ambiente de desenvolvimento separado da sua máquina e totalmente portátil.

Palestrarei novamente com o velho Almir M3nd3s sobre o dia-a-dia e evolução do Adena, a plataforma de e-commerce da Giran que estamos desenvolvendo a algum tempo e tem uma dezena de clientes. :)

Meu muito obrigado ao Eduardo Braga e toda a trupe da UENF pelo convite.

Curioso? Eu também ficaria. Acesse http://www.lcmat.uenf.br/scti e conheça o evento. :)

Sooner 0.8 lançado

Aloha pessoal,

Depois de um hiato bem grande, voltemos à programação normal. :)

A algum tempo lancei uma extensão pro Google Chrome chamada Sooner para ver e adicionar páginas à minha conta do ReadItLater. O ReadItLater é um serviço bem conhecido e antigo para guardar urls de todo o tipo e “ler depois”, como o próprio nome diz, e oferece uma API para criação de aplicativos que usem o serviço. O grande problema era que não havia uma forma rápida e direta de adicionar, ler e remover páginas em nenhum navegador. No Chrome existiam opções que eram bacanas mas não agradavam ou na usabilidade ou no funcionamento.

Com isso, e a curiosidade de fazer uma extensão pro Chrome pra aprender e brincar um pouco, nasceu o Sooner sem muita pretensão até que algum tempo atrás vi que várias pessoas eram feedbacks legais e tinha sido incluído na páginas e extensions do serviço. :)

Para baixar, basta acessar o link https://chrome.google.com/webstore/detail/mifafnghbieophofjinbniahjpiodpnm e pedir para instalar. Depois é só logar com sua conta do RIL (se não tiver ainda uma conta cadastre em http://readitlaterlist.com/signup) e pronto. :)

As novidades

Em relação à versão 0.7, foram adicionadas features que o pessoal havia pedido.

  • link para recarregar a lista, pois o RIL pode ser usado através de vários aplicativos e recarregar a lista pode ser necessário em algum momento
  • campo de busca, para buscar páginas da lista através de uma palavra ou termo. A busca está bem simples e buscando pelo titulo mas possivelmente no futuro procure na URL também
  • correção de um bug na listagem, pois o Chrome (isso vai render até um post) sempre re-ordenava os itens que vinham do RIL.
  • um novo design do tipo, para deixar os itens de adicionar, busca e recarregar lista em lugares de uso mais simplificado e direto.
Uma lista de novas features vem por aí, mas algumas já foram escolhidas como:
  • lista ordenável por título, link, páginas mais novas ou velhas
  • criação automática de conta através da página de opções
  • versão “text only” dos links, que é um serviço do RIL bem bacana.
Se curtir, dá uma instalada lá e experimenta! Se não, dá um macaquinho para trás. hehehe
Simbora.

Rock and Rails: Ruby e Rails no ES! :)

Aloha amigos,

Passando rapidamente para informar com grande prazer mais um evento organizado pela Giran (@giran_br) em solos capixabas. :)

No dia 01/10/11 (011011 em binário é 27 woooow!) o Rock and Rails, o primeiro evento de Ruby e Rails do ES. Estamos muito orgulhos e anciosos com o evento pois não conhecemos muitos devs Ruby/Rails no ES e esse é uma oportunidade muito bacana de conhecer não apenas quem já conhece um pouco da linguagem mas também falar da linguagem pra quem apenas houve falar dela por aí.

Entre os palestrantes estão algumas pessoas da Giran e de outras empresas. Irei palestrar um pouco sobre testes usando RSpec e espero que dê tudo certo. (risos).

O Rock and Rails será um evento dedicado ao desenvolvimento em Ruby e a framework Ruby on Rails, cuja aceitação e adoção nas empresas está em franco crescimento.   Este evento é inédito no estado e tem como objetivos principais disseminar o conhecimento da linguagem/framework e dar uma ideia da quantidade de interessados/profissionais/entusiastas não apenas da linguagem mas do desenvolvimento para internet.

O evento está sendo organizado pela equipe da Giran Ecommerce Solutions e não terá fins lucrativos: todos os recursos obtidos junto aos parceiros, patrocinadores e incrições será revertido para cobertura do evento e compra de brindes para sorteio ao final do evento.

Formato do evento

O evento contará com 2 tipos de palestras: além das regulares (em torno de 45 min) teremos algumas Lightning Talks, que são micro-palestras muito rápidas de 5 minutos onde as pessoas falam sobre assuntos muito específicos de modo a mostrar por exemplo uma técnica, uma ferramenta e coisas do gênero.

A inscrição do evento é de R$ 20,00, simbólicos apenas para pagar os custos do evento e comprar brindes e coisas do tipo. 😀

Irado né? Então não perca tempo, pois as inscrições já estão acabando.Faça já sua inscrição e, porque não, ajude a divulgar o evento.

Siga-nos no twitter (@rockandrails ) e mande o seu “Eu vou ao @rockandrails !”. Ou mesmo pelo Facebook, qualquer ajuda na divulgação será muito bem vinda!

Visite a página do evento e conheça todos os detalhes: www.rockandrails.com.br.

1
2
<a href="http://rockandrails.com.br" target="_blank">
<img src="http://www.rockandrails.com.br/wp-content/uploads/2011/08/banner-divulgacao.jpg" alt="" /></a>