AfterShip: tracking de encomendas de praticamente qualquer serviço no celular

Com o sucesso estrondoso da Deal Extreme (dx.com) e mais recentemente do AliExpress (aliexpress.com), que oferecem uma infinidade de produtos de todos os tipos por valores muito mais em conta do que no Bra$il, o brasileiro aguçou e virou de vez um muambeiro (no bom sentido da palavra) de mão cheia. Roupas, eletrônicos, bobeiras, geekisses e toda sorte de produtos são enviadas geralmente da China pra cá por um preço que parece até brincadeira e na maioria das vezes com frete grátis!

Mas nem tudo são flores: não bastasse nossos Correios e Receita Federal demorarem meses para entregarem nossas aguardadas bugigangas, é normal que os produtos sejam enviados em várias encomendas diferentes (principalmente no AliExpress onde cada produto geralmente é de um vendedor diferente).

Então, várias aplicações para iOS e Android surgiram com o objetivo de trackear essas encomendas, atualizando o usuário quando acontece alguma mudança no status da encomenda e por ai vai.

Testei vários aplicativos como o Muambator (iOS), Chegou (iOS) … os dois com propostas bem legais, mas com um grande problema: não trackeiam TODO tipo de código possível. No AliExpress principalmente, temos uma infinidade de serviços utilizados pelos vendedores pro envio. No caso do Chegou, apesar de uma app realmente bonita, outro fato limitador foi deixar guardar apenas dois trackings na versão free.

A melhor alternativa que achei, e curti muito, foi a do serviço AfterShip (www.aftership.com). Além de uma app free e versões para iOS e Android, você tem atualmente a disposição o tracking para 214 serviços de postagem. Ou seja: para praticamente todos os serviços conhecidos. :)

Home do AfterShipA app é simplória e vai direto ao ponto: você adiciona um código de tracking, coloca um titulo descritivo e pronto. A app vai ficar te avisando do andamento periodicamente via notificações. Simples e entrega o que promete.

O único porém é a velocidade de atualização dos andamento no servidor deles. Uma movimentação dos Correios chegou primeiro pra mim pelo serviço do Muambator e depois de umas 3 horas no AfterShip. Nada muito grave, a não ser quando você estiver esperando desesperadamente uma encomenda e fosse preferir ficar esperando.

Temos excelentes opções, mas o AfterShip, pelo conjunto da obra, levou fácil como preferido. :)

Olha a Palm ai gente

Palm Treo Pro

Palm Treo Pro

Foi lançado semana passada o Palm Treo Pro, nova aposta da Palm para se embrenhar de vez no mundo dos smartphones. Digo se embrenhar de vez pois na linha Treo, que é a linha mais cara da Palm, faltava ainda uma coisa importantíssima que agora se torna realidade: o suporte ao 3G (ou rede HSDPA).

Além de mais bonito que o Treo 800w, o novo Treo Pro trouxe também um novo apelo para se distanciar de seu antecessor: um jack para fone de ouvido. Sou seja: a Palm uniu o útil ao agradavél fazendo um produto que servirá tanto para trabalho quando para entretenimento. O fato de poder receber até 32gb de expansão de memória ilustrou isso de forma muito clara também.

Devo confessar que ficou show de bola demais essa nova versão do Treo, que manteve muitas das características do Treo 800w: Windows Mobile 6 (de deve desapontar alguns e deixar muitos outros felizes), a qualidade da camêra integrada de 2 megapixels, GPS … mas por outro lado melhorou no suporte a expensão de memória, duração da bateria (embora isso nem sempre signifique que ele ficara on mais tempo) e uma camêra com um pouco mais de zoom (digital, mas ainda sim mais).

Show de bola e vâmo ver por quanto ele vai chegar por aqui. AEH uahe uhAE AE

Simbora.

Vitória Digital II

Semana de correria: especulações sobre a chegada do iPhone à terras tupiniquins (pela Vivo, a fofoca é que chegue em meados de setembro), muita correria matando últimas pendências, muita pesquisa em cima do Android e iPhone SDK (em breve mini resenhas dessa imersão de 2 semanas com esses kits), estudo para passar no SCJP e pequenas descobertas de aplicativos bacanas (reviews em breve tb).

Mobilidade tem sido uma das palavras da vez e tem se mostrado um lance pra lá de satisfatório sair do meu mundo Palm e Windows Mobile para novas plataformas, embora ainda não deixe de lado a importância e rentabilidade de aplicações e solução pra essas duas plataformas. Afinal, não existe nenhum smartphone com Android (até o HTC Dream, que todo mundo tá SECO esperando tb) e vai ser mais legal para desenvolver para iPhones quando tiver o meu próprio. :)

E mobilidade vai ser uma das coisas envolvidas na primeira reunião pública do Projeto Vitória Digital, que discuti aqui a alguns posts atrás, que difere da apresentação do projeto no sentido de que eles vão ouvir “a população”, que vai poder opinar sobre os detalhes do projetos e coisas afins. Não é uma oportunidade única de contribuir, já que estão previstas mais algumas reuniões públicas durante o projeto, mas a experiência conta que as idéias e sugestões de hoje podem ser a realidade imutável de amanhã.

Então, quem quiser e puder comparecer será uma boa oportunidade não apenas de conhecer o projeto de perto e da boca de quem o está desenvolvendo, mas também de fazer aqueeeeeele networking ocasional e poder contribuir quem sabe com uma idéia bacana, sugestão e até mesmo uma crítica construtiva.

Para os “arroz-de-festa” tem aquele Coffee Break bacana e vai ter Wireless a rodo para Twitteiros e blogueiros poderem postar coisas ao vivo de lá. O café está muito bom da última vez. hehe

Para saber mais detalhes, acessem essa matéria do Gazeta Online.

Simbora!

The fall and rise of Palm

Agora é fato: vou estar me desligando um pouco do desenvolvimento para web com scripting e pular de cabeça na programação mobile, java (estou ralando nesse momento para tirar minha primeira certificacão JAVA) e manter o blog (acreditem, isso não é promessa de político … hahaha) atualizado … apesar de achar que posso achar um template do WP mais bacana ou ter saco pra customizar um.

A alguns anos debateu-se a falência breve e vindoura da Palm. Para que não está interado, antigamente Palm era sinônimo de empresa de vanguarda em computação móvel e PDAs. Várias empresa (HP, Dell e são exemplos clássicos) tentaram, mas nenhuma obteve talvez a visibilidade e esse “sinônimo” de “organizador pessoal móvel”.

Mais que um organizador móvel, a Palm saltou aos olhos aos olhos de desenvolvedores de soluções comerciais (principalmente de força de vendas) por dois detalhes pra lá de significativas: o preço acessível (em comparação com a maioria dos outros PDAs de sua época) e um SO que aceitava muitas possibilidades de linguagens para desenvolvimento.

Será que vale a pena ainda desenvolver para essa plataforma num mundo de aplicacões online e 3G ?

A resposta posivelmente seja: vale sim. E muito!

A Palm passou por um momento muito delicado e obscuro em sua história a algum tempo atrás: entre entusiastas do Windows Mobile, Symbian e outros que, aliadas aos aparelhos agora GPRS/GSM/1xrtt e tecnologias afins de permitiam acesso à internet sem periféricos externos como a maioria dos Palms exigia ao impacto que isso trazia no sentido da “nova computação móvel”, apresentavam um belo novo mundo, a Palm se perdia entre tentativas frustradas de “voltar ao topo” e toda a pressão de um mercado “main stream” que brandia essa nova “necessidade essecial” de unir ao poder do PDA funções de telefone e unir tudo isso num aparelho apenas.

Isso me fez investir num Qtek 9100 da HTC: o fato de ter de andar com meu Palm Tungsten E com endereços, compromissos e afins e ter que “consulta-lo” para ligar para alguem do celular me deixavam P da vida. O Qtek me abriu num novo mundo de possibilidades, tanto de organização pessoal quanto de plataforma de desenvolvimento.

Lembrei do FOLEO, acredito que a maior tentativa frustrada da Palm em emplacar algo inovador, mas que antes mesmo de ser lançado foi considerado obsoleto e nem foi posto no mercado. O conceito era estranho: qual a necessidade ultraportátil se com seu preço dava para comprar um notebook muito mais aberto e funcional ?

Mas isso é a ponta do iceberg. No meio do bombardeio da mídia pisando no calo, investidas em publicidade de seuas concorrentes e a blogosfera (especializada ou não) metendo o pau indo atrás “da onda”, a Palm continuava vendendo e se re-estruturando.

No Brasil, como sabemos, nada segue as tendências lá de fora em “tempo real”: afinal, tudo chega por último aqui praticamente. E acredito que a maioria das coisas não devem ser encaradas como realidade, principalmente quando vc lê em sites especializados que vivem uma realidade completamente diferente da nossa: tanto tecnológica quanto econômica.

E cá temos a Palm Brasil: a automação comercial no Brasil, a pleno vapor, ainda adota essa plataforma como possibilidade de economia em custo inicial e manutenção. O tamanho pequeno dos programas unidos a relativa memória necessária de armazenamento para um programa de força de vendas médio (o Zire22 tem 32 mega de memória, o que dá e sobra para a grande maioria dos casos) e o pequeno valor de um PDA da Palm (o Zire22 custa em torno de 400 reais) é um prato cheio para implementação de uma solução para micro, pequenos e até médios atacadistas.

No ambiente pessoal, o Palm Centro chegou para ficar. Aos aficcionados pela Palm, com ele o Treo concerteza vai pro espaço. Tela touchscreen e o melhor … aquela KCETADA de aplicativos. A grande maioria, pode ter certeza, voltada para produtividade e organização pessoal e não apenas pra encher linguiça.

No fim das contas, só fica a certeza que a Palm não vai embora dessa vez … e que fique mais um booom tempo. Sim! Eu sou um entusiasta da Palm! ;) hehehe

Simbora.

Review: Vitória Digital e afins

Semana bacana essa em Vix. =)

O seminário (que mais pareceu uma simples apresentação do que um seminário) Vitória Digital deu uma boa idéia do que poderemos ter por aqui com a possibilidade de Vix virar uma “Cidade Digital”, com wi-fi espalhado por tudo quanto é canto.

A pergunta inicial era: como será esse plano de Wi-fi 0800 Oba Oba? Continue…