AppleScripts para Pomodoro (for Mac) [UPDATE]

Aloha!

Utilizo ZTD e Pomodoros a algum tempo (escrevi um pouco até na época falando um pouco disso) para tornar meu dia-a-dia profissional e pessoal mais organizado e menos estressante. Experimentei vários softwares relativos à isso e tratando-se de pomodoros o melhor que achei para Mac foi o Pomodoro, feito pelo Ugo Landini.

A técnica pomodoro basicamente é bem simples: escolha uma tarefa, coloque um timer para contar 25 min e foque na conclusão da tarefa. Após 25 min você tem 5 min para fazer o que quiser (sim, o que quiser!). Se quiser ler mais ou não conhecer a técnica, dê uma sacada aqui (em inglês) ou aqui (mais resumido e em português).

Pomodoro: light e não obstrusivo

O programa em si é extremamente leve e não é obstrusivo: ele fica na barra de tarefas, sendo acionado com um simples clique.  Ele tem duas versões: a 0.31 que já esta pronta para download em http://pomodoro.ugolandini.com/pages/downloads.html e a 1.2.2 que está disponível na Mac AppStore por U$ 4,99. A diferença básica são correções de bugs e que na nova versão existem várias integrações novas com softwares como Things e o OmniFocus, ambos de GTD (o ZTD mais “puxado” e de onde ele se originou).

Ah sim: o Pomodoro é OpenSource. Você pode baixar o source em http://pomodoro.ugolandini.com/pages/source.html (está num repositório publico no Github) e buida-lo via XCode. Iradissimo! :)

O grande problema porém era bem específico e sem culpa do aplicativo: sempre que eu começava um pomodoro eu tinha vários programas que tiravam minhas atenção. Adium, Twitter, Echofon … tudo isso são coisas que podem causar impedimentos e interferências para concluir uma tarefa. É ai que entramos.

Hackeando o Pomodoro com AppleScripts

O Pomodoro permite que você acione alguns comandos via AppleScript. Explicando, o Mac OS X vem com uma linguagem de script chamado AppleScript que permite manipular programas e enviar comandos para eles. Conheça um pouco mais de AppleScript nesse link.

Para inserir um AppleScript em seu programa Pomodoro, abra-o e clique em Preferences. Em seguida, clique em Scripts. Você verá todas as ações do Pomodoro e um campo onde poderá escrever ou inserir seus scripts.

Tela de Scripts do Pomodoro

Tela de Scripts do Pomodoro (ver. 1.2.2)

Cheque a ação que deseja que execute scripts e pronto. ;)

Abaixo, seguem  os links de dois scripts bem funcionais e que são facilmente extendidos.

  • Script para fechar o Twitter e colocam o Adium (messenger mais famoso pra MacOSX) como Away quando um pomodoro é iniciado (START) – https://gist.github.com/904053
  • Script para abrir o Twitter e colocam o Adium como Available quando o Pomodoro é resetado (RESET) e finalizado (END) – https://gist.github.com/904057

Lembrando que ao copiar o script, você deve checar a ação para executa-la.

Extendendo os scripts

Nos scripts, existe um pequeno manual para extende-los, para que você possa abrir e fechar as aplicações que geralmente usa em seu Mac. A customização é MUITO simples e para vê-las funcionando basta startar e finalizar um pomodoro após alterar o script. ;)

E é isso! Bons pomodoros! :)

[UPDATE]

Criei um repositório no git com os scripts melhorados para quem quiser copiar, contribuir e tudo mais. :) O endereço é https://github.com/leohackin/pomodoro-applescripts. Enjoy!

[/UPDATE]

Drosera: o Firebug do Safari

Hi People! Duzentos anos depois, eis mais um post: e agora vai ser no mínimo 1 por semana. :)

É fato que o Firefox derrubou barreiras e hoje é o maior e melhor navegador do planeta. Fato! Mas é fato também que ele nas últimas versões tem consumido um absurdo de memória RAM: a pergunta que fica é “PRA QUE TANTO?“.

Revolta a parte, compartilhada com meu brother-sócio Jeveaux, a navegação com o Firefox ainda “era” uma necessidade devido ao Firebug, plugin pra la de providencial para debug dos scripts e elementos da página: total mão na roda para quem usa intensivamente Ajax, JS e demais tecnlogias correlatas.

Frustrações e algumas googladas e a solução apareceu: Drosera, um complemento da ferramenta Webkit. Continue…

Adios Win …

Boizé … eu que disse que ia manter isso atualizado com frequência me perguntei porque quanto mais vontade você tem de fazer algo certinho e metódicamente, mais as coisas começam a “forçar” contra isso.

Semana de muito trabalho (jura?), inúmeros pepinos, desilusão com o preço impeditivo do iPhone e uma constatação que veio após uma twittada do meu brother @marceloaquino: o Twitter vai dar fim a uma grande parcela dos blogs em breve. Viagem? Estou pagando pra ver. (risos).

E nesse tempo todo, cá estou eu com minha segunda constatação absoluta: acho que o Mac OS X vai ser o meu sistema de trabalho por longo tempo. Não é questão de ser mais um Mac Fã Xiita como os vários que existem por ai. O discurso é aquele de sempre, mas que você só compartilha depois de fazer a sabatina do sistema: o SO é muito estável e com uma produtividade absurdamente alta.

Claro que o hardware de qualidade, como o Intel Core 2 Duo de 2.4 mhz com gratos 3 mega de cache, ajudam bastante. Mas o comportamento do SO com a quantidade de recursos visuais e velocidade bateu com folga meu PC com XP e 4 giga de RAM. E muito menos carregado.

Além da velocidade de processamento, tenho que destacar os atalhos do SO que são uma puta mão na roda. O Exposé dá show no Alt+Tab e realmente VICIA depois de um tempo. Ontem me peguei com 23 janelas abertas e a lentidão só veio depois que abri uma máquina virtual XP no VMWare. Aliás, uma grande verdade surgiu nesse momento: o Mac dá umas travadinhas sim sob imenso processamento.

O Command + Espaço (ou como diriam os antigos, Maçãnzinha + Espaço) mostra uma funcionalidade que surpreende quem vem do Win: o Spotlight. Trata-se de um “search” que lista não apenas arquivos mas também aplicativos. E o melhor, você já pode acessa-lo de cara. Muito bom.

Existem N aplicativos para Mac que funcionam seguindo a premissa de fazer da forma mais simples, mas sempre bem. É impressionante a simplicidade unido ao poder de alguns aplicativos. Programas como o TexMate (para programação) a primeira vista te fazem pensar “Uai … pra quê? só tem isso?”. Duas semanas depois você já está digitando feito um desesperado sem parar. aheuhaeuhauehahae E o bacana é o preço acessível desses aplicativos. E claro, não faltam opções freeware para Mac, que estou usando e adorando.

Com o cabo mini-dvi para DVI que comprei no eBay, agora codar com duas telas tá send pra lá de interessante. Embora a tela de 13.3″ faça você se acostumar rápido (eu estava preocupado com isso mas duas semanas depois nem esquentei mais), trabalhar com ele mais um monitor 19″ do lado é muito confortável. Pensei agora e vou investir num Mac Book Pro com duas saídas DVI e investir em dois monitores de 22″. Doidera ? Pode até ser, mas nunca pensei que iria produzir tanto e com tanto conforto com uma extensão de dela.

A parte chata do Macbook branco é a tal da sujeira. Morar bem perto dum porto onde se transporta minério a rodo é fogo. Ele já não está tão branco quanto no primeiro dia. Mas a limpeza diária com um pano ajuda bastante. Seria pior no caso das teclas, mas a compra de um protetor de silicone para o teclado por $13 foi mais que bem vinda. :)

Uma coisa engraçada que vem com o Macbook é a vontade de “enfeitar” o aparelho. Sou um consumista assumido, mas depois do Mac as coisas ficaram mais … digamos … satisfatórias. O consumista compra as coisas e larga pro lado. Agora estou comprando as coisas, usando e vendo a diferença real que elas estão fazendo no meu dia a dia.

Enfim, tem sido uma experiência bem bacana e para quem tiver grana pra comprar um HP de 3.500, compre um Macbook pois vai ser um ótimo investimento.

E vamo simbora.

VMWare Fusion … Bootcamp pra quê ?

Antes de mais nada, o sumiço foi válido: oxigenei as idéias, me situei sobre qual o verdadeiro propósito de um blog pra mim e principalmente mudei um pouco de ares: adquiri finalmente um Macbook 13.3″ para sair um pouco do Windows, sem deixar as facilidades de uso de um SO “user-friendly” já que sou preguiçoso pra caramba (que programador não é) e de configurações já chega as que tenho que fazer para funcionar os aplicativos que desenvolvo no dia-a-dia.

Poderia postar algo sobre sobre as facilidades do OS X 10.5, sobre como é legal ter um Mac, como ele é rápido, pequeno, bonito e coisas do tipo, mas isso é soar redundante. Além disso, vou esperar passar umas 3 semanas pra poder falar algo conclusivo. Apesar do OS X junto com o hardware do Mac serem muito fodas, ainda não posso dizer que o meu PC seja ruim (até pq ele não é … hehehe).

Porém, nem tudo são flores. Ainda existe uma esmagadora coleção de softwares que só roda de forma estável em Windows ou pior: só roda única e exclusivamente no Windows. Solução: instalar o Windows via Bootcamp e tirar a graça de um OS X?? Nem pensar. Afinal, para que você comprou um Mac. Então muita gente apela para softwares de virtualização para Mac. Maravilha! :)

E, se ainda por cima, pudessemos juntar a gama imensa de programas do Windows com as facilidades de uso e potência de um OS X de forma transparente? Impossível ??? Não para o WMWare Fusion. Continue…