Porque as pessoas vem antes de qualquer metodologia

Estamos em 2016. Tudo o que achávamos que sabíamos sobre Scrum, Agilidade, Lean, Kanban e afins provavelmente se consolidou ou não tem mais aquele misticismo de 6~7 anos atrás.

Com isso na bagagem, fui chamado para bater um papo para uma turma de MBA aqui no ES num workshop de Gestão da Produtividade para a turma de Gestão estratégica de pessoas sobre como desenvolvemos software na Wine.com.br.

Sou um cara que GOSTA de slides e gifs animados … muitos deles… Depois de 130 e poucos deles falando um monte sobre, apaguei 80 deles e me senti numa oportunidade mágica de re-afirmar algo que tenho (na verdade, tinhamos junto com todos) como mantras nesses últimos 7 anos de desenvolvimento de software usando métodos ágeis e tudo mais:

Pessoas > Processos

e

Pessoas felizes fazem software de qualidade que deixa clientes felizes.

Isso pode parecer tendencioso, piegas até. Mas tem uma sacada as vezes esquecida por muitas empresas que começam a adotar metodologias que prometem turbinar a produtividade, entregar ROI mais rápido ou mesmo aquelas que já estão a algum tempo utilizando-as mas ainda com aquela sensação “Eu não sinto que isso esteja/seja certo”.

O Manifesto ágil, o cerne da esmagadora pluralidade de metodologias e frameworks, afirma entre seus princípios:

  • Pessoas relacionadas à negócios e desenvolvedores devem trabalhar em conjunto e diariamente, durante todo o curso do projeto.
  • Construir projetos ao redor de indivíduos motivados. Dando a eles o ambiente e suporte necessário, e confiar que farão seu trabalho.
  • O método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para, e por dentro de um time de desenvolvimento, é através de uma conversa cara a cara.

Olha isso: pessoas, em conjunto, indivíduos, motivados, ambiente, suporte, confiar …

Isso é usado como insumo para que o mindset ágil possa fazer sentido. Pessoas sem medo, que tem verdadeira autonomia, que conseguem lidar com diferenças, pontos de vista, e consigam trabalhar em conjunto para fazer algo acontecer.

Agora pense rapidamente em exemplos de empresas que adotaram alguma metodologia ágil e faça uma reflexão: as pessoas passaram a ter menos medo? Elas passaram a entregar com mais qualidade? Elas estão mais felizes? A metodologia ajudou elas a serem melhores como PESSOAS?

Pô. Pq as empresas investem horas de treinamento, estudos e energia ensinando metodologias baseadas nisso e esquecem-se que para dar certo as PESSOAS devem devem ser trabalhadas para trabalharem em conjunto, diariamente, de forma motivada num ambiente e suporte necessários para que elas façam seu trabalho de forma convincente?

Isso faz sentido pra você?

Imagine um jogador de poker: você pode ensinar todas as regras do jogo e todas as jogadas possíveis à ele. Mas que tipo de sucesso terá se ele não for ensinado na parte do blefe, do jogo psicológico, de tudo que está fora das regras mas que influenciará diretamente no resultado e na performance do jogo dele.

Qual o sentido do Scrum num time com pessoas que aprendem todas as regras, todas as cerimônias, mas não foram ensinadas e/ou não tem um ambiente a não terem medo, a serem pro-ativas, a terem coragem pra mudar, a controlarem seus ímpetos numa discussão, a entenderem seus papéis e lidarem com isso bem.

Por isso, acredito na importância da criação de uma cultura ágil baseada nos valores:

  • Respeito (já existente na XP)
  • Admiração/Exemplo
  • Liberdade
  • Confiança

A XP (Extreme Programming) entre outras cita alguns valores, mas depois desse tempo percebi o quanto a admiração, liberdade e confiança impactam na forma como o time adota/utiliza as ferramentas que lhe são dadas no dia-a-dia para executar seu trabalho. E mais importante: como lidam com os problemas de forma tão natural, consciente e justa.

Esse tripé é/foi responsável por alguns momentos mágicos que tive nos últimos anos e serve de base para que outros tantos valores se apoiem. Se “(…) confiar em outro é muitas vezes considerado ato de amizade ou amor entre os humanos, que costumam dar provas dessa confiança.(…)” (Wikipedia), é muito mais fácil haver eventos de admiração e permissões da liberdades que de outra forma seriam muito artificiais ou inviáveis.

Hey ho, let’s go.

  • Rodolfo Spalenza

    PESSOAS > PROCESSOS

    Foda Hackin!

  • m3nd3s

    Fantástico! Queria estar presente na palestra, deve ter sido muito boa e motivante!

    Parabéns pelos pensamentos, palavras e atitudes 😉

  • Lucas Coradini

    Legal o artigo. Você tocou num ponto fundamental. A cultura ágil! É um baita desafio tirar a equipe da zona de conforto (trabalho individual) e oferecer ferramentas e espaço necessários para promover essa cultura. Acho que esse assunto merece um artigo a parte :) E da próxima vez me convida pra palestra, zé ruela.

  • Vlw Rodolfetch! :)

  • :) vai rolar denovo na Wine Sieges.

  • :) Pensei um pouco nisso e feedback assim dá uma idéia boa pra fazer mesmo. 😀 A palestra era fechada :( mas vou agitar de faze-la em algum evento sim.